sábado



. . . . . .


Abdiquei de uma passagem de ano ao estilo "apoteose". Já vivi quantidade suficiente delas. Em São Paulo , no Recife, e até em Brasília.

Claro que nada equiparável ao espetáculo pirotécnico que todo ano leva milhares de pessoas à "Avenida Atlântica".

Mas , mesmo este, já assisti de tantas e dispares perspectivas : da sacada do salão de festas do Forte de Copacabana às areias salpicadas de turistas e populares .

Por deliberação tomada dias antes, minha entrada de ano foi sóbria, introspectiva . Enquanto mamãe, Cris , Tiago e Luciano caminharam até a praia para ver a queima de fogos ( aqui na Barra, mais barulhenta do que vistosa ) , olhei-a, ligeiramente, da varanda e retornei às minhas "preces" . Senti-me abençoada por estar em casa, junto aos meus. Que melhor começo de ano desejar ?


----


Resolvi dedicar meu primeiro dia do ano ao Tiago. Principalmente, porque sua passagem para Brasília já estava comprada e ele viajaria no dia 3 (ontem) . Na condição de tia e madrinha, desdobro-me para fruir de sua companhia no pouco tempo de que geralmente disponho .

Começamos a tarde testando o pacote de expansão do "The Sims" no lap-top da minha irmã. Depois, ficamos de farra com o Apolo ( fizemos muitas fotos dele aporrinhando a calopsita -- o Zeus ) .

À noite, mamãe nos levou de carro até a Blockbuster da Olegário Maciel , onde, naturalmente, não havia muitos filmes que o Tiago já não tivesse assistido com o Serginho ( o tio-dindo de Brasília) . Ainda assim, saímos de lá com uma cópia de "MIB II" -- que, naturalmente, sequer saiu da sacolinha.
Dali, mamãe estacionou o carro na altura do posto 5 (na direção de casa ) , porque o Ti cismou que teríamos de pular as tais "sete ondas da sorte" . Pulamos, naturalmente, bem mais de sete ondas . Tantas mais que , apesar de estarmos a pouquíssimos metros de casa, não tive pernas para voltar .
E lá fomos nós, às gargalhadas , enlameando ( de leve ) o carro novo da "Vó Ita".

Grande dia !! Que o resto do ano venha repleto de momentos como esses , de simples, mas genuína alegria .

O mesmo, naturalmente, desejo a vocês .



- - - - - - - -

Ilustração : Claudine Hellmuth