domingo

E.x.p.e.r.i.m.e.n.t.o.


Hesitei longamente em criar um blog para mim. Fiz uma primeira tentativa há uns 6 meses. Detonei o esboço antes que alcançasse suas primeiras 24 hs no ar.
Encontro-me em um estágio em que determinados tipos de exposição soam-me ridículos -- quando não, mórbidos . Quer dizer, mantenho-me filiada à ala Virilio-Baudrillard.

Aproveitando o esbarrão no tema "cibercultura" :

É lamentável observar aquela obtusa parcela dos "coleguinhas" -- alguns dos quais alardeiam-se "jornalistas da web" -- tecendo loas a um nerd pretensioso como o Pierre Lévy. Um sujeito cuja formação acadêmico-humanística está aquém de "questionável".

_ _ _ _ _


Por que será que tão poucos entre nós aventuram-se para além da bibliografia obrigatória do curso e dos best-sellers da estação ? Alguns atribuem o pouco trato com as letras ao tempo excessivo em que passam chafurdados na "lama" das redações.
Nos dias em que não há "pescoção", alguns optam, sem titubeios nem pudor, por assistir às peripécias em slow-motion de "O Clone" . BTW, há alguns dias, a volta do dito era aguardada e comentada em diversos blogs mantidos por jornalistas.


* * * * * * *

" Ma Shanti Adriana "


Neste ponto ( . ) >>> antes de outra digressão, um recuo <<<

Lembram-se do Osho? Sim, o guru indiano que deixou Poona para montar um ashram no Oregon (USA) . Em 84, época em que -- preciso confessar -- , fui ' sannyasin ' ( Ma Shanti, vem daí ) , ele ainda atendia por Bhagwan Shree Rajneesh .

Podem acusar-me de auto-complacente, mas o arroubo místico partia de uma guria de seus 17 anos. Qualquer hora, explico melhor .
.

* * * * * *

Da série "Analogias heréticas" :


Trata-se da tirada de um senhor -- outrora, editor de fotografia de um jornal carioca -- , em meio a flames acerca do tópico "análise da imagem" .
No seu entender , Fayga Ostrower teria tanto a contribuir na apreciação/classificação de uma fotografia quanto o guardador de carros da rua dele.

Quando for ao Rio visitar minha família, vou ver se dou uma passada ali pela Glória para trocar idéias com Monsieur Tabacô"...ou seria , Guimbá ?
Cotocô ? Não lembro a alcunha do Barthes Macunaíma . Diz uma lenda carioca que ele teria concebido seu punctum decisivo no mesmo cruzamento onde , por um triz, escapou de...


* * * * * * * * * * * * * * * *

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial